Publicado em Deixe um comentário

Entenda porque a teoria de Ratanabá é uma Fake News!

cidade-perdida-na-amazônia

Provavelmente você deve ter escutado falar sobre uma “grande descoberta arqueológica” feita recentemente. A história sobre Ratanabá, uma cidade perdida na Amazônia, tomou conta das redes sociais. 

Já não bastasse a lenda sobre El Dorado, agora temos que lidar com mais uma teoria completamente infundada que não tem nenhuma base científica. 

O responsável por toda esta história absurda parece estar atrás dos seus 15 minutos de fama. O pior de tudo é que ele está ganhando muito mais tempo do que isso. Tivemos até alguns ministros se reunindo para discutir sobre esta temática. 

Como se não houvesse assuntos muito mais importantes e urgentes para se falar sobre a Amazônia. Mas, nada acontece por acaso. Certamente há uma intenção por trás de toda essa falácia. 

Nesse artigo, vamos explicar porque a teoria de Ratanabá não faz sentido algum. Vamos lá?

Ratanabá: a cidade perdida que nunca existiu

Vamos começar pelo autor desta teoria que se intitula um arqueólogo, mas na verdade não é. Primeiro, ele ficou famoso na TV na década de 90 por seus poderes paranormais. 

Depois, ele resolveu virar ufólogo e gravou um vídeo de um extraterrestre que apelidou de Bilú. Toda esta história não passou de uma jogada de marketing para vender pedaços de terra na região do Mato Grosso onde esse ET foi visto. 

Agora, ele criou um Instituto de Pesquisas chamado Ecossistema Dakila presidido por ele e outros alienados que acreditam ter feito a maior descoberta de todos os tempos: a cidade perdida de Ratanabá. 

Mas, por que essa teoria não faz sentido?

Segundo alguns dados divulgados sobre esta história, Ratanabá teria sido construída e habitada por uma civilização super avançada tecnologicamente há cerca de 450 milhões de anos!

Ou seja, uma civilização que viveu muito antes dos dinossauros, que foram extintos há cerca de 65 milhões de anos. Parece que estes “arqueólogos” do Ecossistema Dakila erraram um pouquinho as contas. 

Outro absurdo é o fato desta cidade perdida ter sido “maior que a grande São Paulo”. Segundo o arqueólogo Eduardo Neves, que estuda sobre a Amazônia há mais de 30 anos, as maiores cidades no século XVI foram Istambul e a Cidade do México. 

Ambas tinham uma população de cerca de 150 mil pessoas. Já a cidade de São Paulo tem aproximadamente 21 milhões de habitantes, sendo a 8° mais populosa do mundo. Faz algum sentido Ratanabá ser maior que isso há 450 milhões de anos atrás? 

Além de tudo isso, foram divulgadas fotos que mostram linhas retas gigantescas no meio da floresta, que segundo esses lunáticos são marcas das antigas construções. 

Mas, de acordo com o especialista Eduardo Neves, a probabilidade destas linhas terem sido feitas por humanos é muito baixa. A explicação mais plausível é de que essas estruturas foram sendo formadas pela erosão ao longo dos anos. 

Ratanabá: uma cortina de fumaça

Toda essa invenção não passa de uma cortina de fumaça para abafar todos os casos criminosos que estão ocorrendo na Amazônia. 

Enquanto vários grupos indígenas protestavam pelo desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, o atual presidente e alguns ministros estavam twittando sobre Ratanabá. Um absurdo sem precedentes! 

Não podemos esquecer dos reais problemas que envolvem a Amazônia. Além dos crimes bárbaros contra as pessoas que tentam protegê-la, a floresta está sendo destruída indiscriminadamente. 

Segundo dados do Imazon, o desmatamento na Floresta Amazônica em 2021 foi o pior nos últimos 10 anos! Mais de 10 mil quilômetros foram devastados. 

O cenário deste ano continua alarmante. Em apenas cinco meses foram derrubados mais de 3 mil km² da floresta. A Amazônia pede socorro! Não podemos ficar inertes diante de toda esta situação. 

Se quiser saber como você pode ajudar a floresta, acesse o site do Meu Pé de Árvore e conheça melhor sobre o projeto de restauração da Amazônia promovido por esta startup. 

Publicado em Deixe um comentário

Conheça 4 espécies de árvores ameaçadas de extinção da Amazônia

árvores-ameaçadas-de-extinção

Você sabia que o Brasil é o país com mais árvores ameaçadas de extinção do mundo? Certamente esta informação nem te surpreenda, não é verdade?

Afinal, a destruição da Amazônia vem crescendo exponencialmente. Os níveis de desmatamento da floresta no ano passado foram os piores da última década, de acordo com o Imazon.

Segundo uma pesquisa realizada nos EUA e publicada na revista Nature, mais de 80% das árvores da Amazônia que correm risco de extinção perderam parte de seu habitat natural. 

Algumas áreas da floresta já entraram em processo de savanização e seu estado pode se tornar irreversível. 

Além disso, corremos o grande risco de não usufruir mais dos maravilhosos recursos que a natureza nos dá, por conta de toda esta destruição indiscriminada. 

Neste artigo, vamos falar sobre curiosidades interessantes sobre algumas árvores ameaçadas de extinção da Amazônia. Vamos lá? 

Quais são as árvores ameaçadas de extinção da Amazônia?

Castanheira do Brasil

As árvores gigantes da Amazônia! Esta espécie pode chegar a ter 50 metros de altura, dá pra acreditar? 

Infelizmente, esta árvore está na Lista Vermelha da IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza), que classifica o estado de conservação de diferentes espécies de animais e plantas. 

Comum nas margens de grandes rios, como o Araguaia, o Rio Negro, e o Amazonas, a castanheira pode viver até 500 anos. Sua longevidade garante o sustento de várias gerações de famílias que vivem do extrativismo das sementes. 

Seu fruto, o ouriço, pode levar mais de um ano para ficar maduro. Semelhante a um coco, com casca super resistente, o ouriço guarda as famosas castanhas do Brasil, ou castanhas do Pará

Se quiser saber mais sobre os principais benefícios da castanha do Brasil, então clique aqui!

castanheira-do-brasil-árvore-ameaçada-de-extinção
Castanheira do Brasil
Fonte:Canva Pro

Andiroba

A Andiroba é outra árvore de grande porte da Amazônia. Ela pode chegar a 30 metros de altura e é encontrada principalmente em regiões de várzea. 

Ela é uma excelente espécie para plantio em áreas de reflorestamento, pois além de possuir um elevado índice de germinação, seu crescimento é rápido. 

O óleo extraído de suas sementes têm incríveis propriedades medicinais. Não é à toa que ele é uma das mercadorias mais comercializadas na Amazônia. 

Além disso, o óleo da andiroba é exportado para vários países do exterior que o utilizam principalmente para a fabricação de cosméticos. Das suas sementes também é aproveitado o bagaço para a produção de velas. 

sementes-de-andiroba
Sementes de Andiroba
Fonte: Canva Pro

Pau-Rosa

Essa é outra espécie que produz um óleo super apreciado por empresas internacionais famosas, como a Chanel. Infelizmente, para a extração de seu óleo é necessário derrubar as árvores. 

Por isso, o Pau Rosa está na lista de espécies ameaçadas do IBAMA desde 1992. Apesar de tentar exercer um controle sobre a quantidade comercializada, o IBAMA já constatou que as exportações do pau rosa ultrapassam muito o limite estipulado. 

A ONG Pro Natura já desenvolveu alguns métodos para realizar um manejo sustentável desta árvore, e extrair o óleo de suas folhas ao invés do caule. 

pau-rosa-arvore-ameaçada-de-extinção
Pau Rosa
Fonte: Wikimedia Commons

Árvore Cumaru

É triste dizer que a árvore que nos fornece a baunilha da Amazônia também está ameaçada de extinção. Esta espécie de grande porte ocorre tanto em terra firme, como em várzea. 

A árvore Cumaru é bastante conhecida pela medicina popular, principalmente indígena, por suas diversas propriedades terapêuticas. 

Tanto suas cascas, como suas folhas, são excelentes para preparar xaropes e chás que servem de analgésico e anti-inflamatório. 

Além disso, suas sementes, por possuírem cumarina, exalam um cheiro super agradável. Por isso, são uma ótima opção para flavorizar receitas. 

Se quiser conhecer mais sobre os benefícios da semente de cumaru para a saúde, então clique aqui!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre estas árvores? 

Você pode ajudar a salvar estas espécies ameaçadas de extinção. A Amazônia precisa de você! 

Clique no botão abaixo para saber mais informações!

Publicado em Deixe um comentário

Pontos turísticos no Acre: lugares imperdíveis para visitar!

pontos-turísticos-no-acre

Pretende conhecer os estados do norte do Brasil e tá precisando de dicas de viagem?? Então, vem descobrir com a gente os principais pontos turísticos no Acre!

Antes de tudo, você sabia que o Acre já foi território Boliviano?? Pois é… este estado localizado no extremo ocidente do nosso país tem várias curiosidades e locais interessantes que você nem imagina. 

Além dos passeios históricos e ecológicos, a gastronomia do local é um grande atrativo. Afinal, ela não só recebeu influências dos portugueses na época da colonização, mas também dos países vizinhos que fazem fronteira, como o Peru e a Bolívia. 

Já o clima, ponto importante de se analisar antes de viajar, é bastante quente e úmido. Por isso, não recomendamos visitar o estado durante o verão, se você quiser aproveitar melhor os passeios ao ar livre e pela floresta amazônica!

Ficou curioso para saber um pouquinho mais sobre este estado? Então, continue a leitura e descubra o que fazer nos principais pontos turísticos no Acre!

Principais Pontos Turísticos no Acre

Foto: Assis Limai/MTur

Palácio Rio Branco

Se você gosta de visitar locais pela arquitetura, então não deixe de conhecer o Palácio Rio Branco! Inspirado em edificações gregas, o palácio foi projetado pelo alemão Alberto Massler. 

Apesar de sua inauguração ter sido em 1930, a conclusão da obra só ocorreu em 1948. Além disso, em 2002 o local passou por algumas reformas e teve incluso em seu acervo algumas fotos, objetos e documentos históricos para exposição. 

O Palácio Rio Branco é um dos locais que mais recebe turistas no Acre. Estima-se que mais de 270 mil pessoas já o visitaram! 

Foto: Katie Maehler

Casa de Chico Mendes e Parque Ambiental Chico Mendes

A casa de Chico Mendes, importante ativista na luta dos seringueiros na Bacia Amazônica, virou um museu que é patrimônio cultural do estado, tombado pelo IPHAN em 2007. 

Apesar de pequena e simples, a casa possui grande valor histórico, principalmente para a comunidade de seringueiros e ativistas que lutam pela preservação da Amazônia. 

Em sua homenagem, nomearam uma reserva ambiental que também é um ponto turístico no Acre que recebe bastante visitas: o Parque Ambiental Chico Mendes. 

Localizado na capital, Rio Branco, o parque conta com trilhas, parquinhos, artesanatos, monumentos folclóricos, exemplares das casas dos seringueiros e um memorial da vida de Chico. 

Além disso, lá é um excelente lugar para conhecer um pouco da fauna e flora da região, pois o local possui várias espécies de plantas e animais silvestres. Um ótimo passeio para fazer com crianças! 

Foto: Diego Pérez

Parque Nacional da Serra do Divisor

Uma das cidades que você não pode deixar de conhecer caso vá para o Acre é Cruzeiro do Sul. 

Fora os pontos turísticos históricos, como a Catedral de Nossa Senhora da Glória, Cais do Porto e o Instituto Santa Terezinha, Cruzeiro do Sul conta com um fantástico parque nacional que fica na fronteira com o Peru. 

Uma experiência sem igual para quem deseja fazer uma verdadeira imersão na natureza e conhecer biomas não só da Amazônia, mas também dos Andes. 

O parque também é lar de vários povos indígenas que vivem às margens do rio Moa. Recomenda-se contratar um guia turístico caso você tenha interesse em visitar essas comunidades. 

Sítio Arqueológico Jacó Sá

Outro local super intrigante para você visitar é o Sítio Arqueológico Jacó Sá. Isso porque, lá há passeios de balão para observar os misteriosos geoglifos. 

Geoglifos são aquelas figuras feitas em superfícies planas que, quando vistas de cima, formam figuras geométricas gigantescas. 

Há várias teorias de que essas marcas grandiosas são mensagens extraterrestres, porém, a verdade é que estas figuras são obras das civilizações pré-colombianas.

Um fato curioso é que de todos os estados brasileiros, o Acre é o que possui mais geoglifos em seu território. Alguns possuem mais de 2 mil anos e ocupam cerca de 20 mil metros quadrados. Interessante, não é mesmo?

Gostou deste artigo?? Então, conta pra gente nos comentários qual desses pontos turísticos no Acre você mais gostaria de conhecer!

Publicado em Deixe um comentário

Macapá: pontos turísticos e curiosidades que talvez você não conheça!

bandeira-de-macapá

Nesta semana a cidade de Macapá está fazendo aniversário!! No dia 4 de fevereiro a capital do Amapá está completando 264 anos! 

A cidade do meio mundo (já já vamos te explicar o porquê deste nome) possui curiosidades super interessantes que talvez você desconheça! 

Além disso, há alguns pontos turísticos imperdíveis caso você esteja planejando viajar pra lá! Então, embarque com a gente e conheça melhor sobre mais uma cidade da região norte do Brasil!

5 Curiosidades sobre a cidade de Macapá

  1. Macapá é a única cidade do Brasil a ser cortada pela Linha do Equador! 

Por isso, ela é conhecida como cidade do meio mundo! Além disso, os macapaenses são os únicos que podem presenciar o Equinócio

Para quem não se lembra, o equinócio é um fenômeno astronômico onde tanto o hemisfério sul, como o hemisfério norte, recebem exatamente a mesma quantidade de luz solar. 

  1. Em Macapá existe o maior Forte do Brasil que foi construído para a proteção do rio Amazonas. 

Esta construção, fruto de mão de obra escrava, levou cerca de 18 anos para ficar pronta!

  1. Só dá para chegar na cidade de Macapá de avião ou barco! 

Pois é… Macapá é a única capital brasileira que não tem rodovias que se conectem com outras capitais. Dá pra acreditar?

  1. Macapá também comemora o Círio de Nazaré!

O Círio de Nazaré é uma das maiores manifestações religiosas no nosso país,  e um dos maiores eventos do planeta!

Apesar desta grande celebração ocorrer em Belém do Pará, os macapaenses também comemoram esta data!

  1. O Estádio do Zerão, o mais popular da região, fica metade no Hemisfério Sul e metade no Hemisfério Norte! 

Os jogadores ficam trocando de lado do planeta durante todo o jogo!

Macapá: pontos turísticos imperdíveis!

O primeiro ponto turístico que vamos falar tem haver com a primeira curiosidade que nós contamos para vocês, que é o Marco Zero!

Este monumento atrai bastante pessoas para assistir ao Equinócio. No topo do obelisco há uma fenda circular que o sol preenche completamente durante este fenômeno. 

Marco Zero em Macapá
Marco Zero
Imagem: Canva Pro

Outro ponto turístico para quem gosta de passeios culturais é o Museu Sacaca. Com exposições a céu aberto e espaços educativos, o museu conta com um acervo rico em amostras da flora e fauna da região do Amapá.  

Além disso, outro ponto com muita cultura e história para contar é o Forte de São José de Macapá, que comentamos na segunda curiosidade. 

Com muralhas de 15 metros de altura, o Forte tem forma de estrela quando visto de cima. Construído durante o período da colonização para proteger a região, o Forte de São José atrai muitos turistas todos os anos. 

 Forte de São José de Macapá
Forte de São José de Macapá
Imagem: Canva Pro

Agora, se você é uma pessoa que gosta de passeios culturais, mas também curte conhecer aqueles locais bem movimentados, cheio de lojinhas, feiras, eventos e muitas opções de restaurantes, então você precisa conhecer o Mercado Central e a Casa do Artesão. 

Além de serem excelentes locais para você provar a comida típica da região, como o tacacá e o camarão no bafo, você também pode aproveitar para conhecer o artesanato que tem muitas influências indígenas.

Gostou de conhecer um pouquinho mais sobre esta cidade? 

Se você curte conteúdos sobre turismo, então não deixe de conferir o nosso blog que está recheado de artigos sobre as melhores cidades e pontos turísticos na região norte do Brasil!

Publicado em Deixe um comentário

Conheça o famoso Mercado Municipal Adolpho Lisboa

mercado-munipal-adolpho-lisboa

Você sabia que o Mercado Municipal Adolpho Lisboa foi projetado pelo mesmo engenheiro que realizou o projeto da Torre Eiffel na França? Incrível, não é?

Também conhecido como Mercado Municipal de Manaus, ou Mercadão, ele é um ponto que você não pode deixar de visitar caso esteja conhecendo a capital do Amazonas. 

Afinal, além de possuir uma belíssima arquitetura, o Mercado Municipal centraliza toda a riqueza cultural e gastronômica do estado de Manaus.  

Quer saber um pouquinho mais sobre sua história e descobrir várias curiosidades sobre este centro comercial tão badalado? Então continue a leitura!

História do Mercado Municipal Adolpho Lisboa

Inaugurado em 1883, o nome deste mercado é em homenagem ao prefeito de Manaus da época. Aliás, esta obra custou mais de 300 mil contos de réis. Isso equivale a mais de 10 milhões de reais nos dias atuais. 

Com sua estrutura feita de ferro, a construção do Mercado Municipal foi um marco importante do ciclo da borracha. Neste período, o estado de Manaus estava prosperando muito por conta da extração e comercialização do látex.

Assim como outros mercados que foram criados na mesma época, o objetivo principal destas construções era proporcionar aos comerciantes de alimentos melhores condições de trabalho e higiene. 

Lembrando que desde 1987, tanto por sua arquitetura, como por sua relevância comercial, o Mercado Municipal de Manaus foi considerado pelo IPHAN como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. 

mercado-munipal-de-manaus
From Wikimedia Commons

Arquitetura do Mercado Municipal de Manaus 

O Mercadão, dividido em vários pavilhões, teve inspiração no estilo Art Nouveau, onde as formas orgânicas e os materiais como o ferro são bastante apreciados.

Inclusive, um novo pavilhão projetado por um companhia escocesa foi construído em 1908 só para os comerciantes que vendiam carne de tartaruga. E, diferente dos outros espaços, este pavilhão foi totalmente coberto. 

Com muitos vitrais, grades e arcos ornamentados distribuídos por toda sua estrutura, o Mercado conta com mais de uma entrada principal. 

Lembrando que o Les Halles, antigo mercado de Paris, também serviu de inspiração para o projeto arquitetônico deste local. 

mercado-munipal-adolpho-lisboa-em-manaus
By Lúcia Barreiros From Flicker

O que fazer no Mercado Municipal Adolpho Lisboa

O famoso Mercadão tem de tudo um pouco! Lá é um dos melhores lugares para você escolher ingredientes típicos da região amazônica como o tucupi, o jambu, o açaí, a pupunha, o guaraná, fora a variedade de farinhas que é imensa.

Além disso, você encontrará fresquinho diversos tipos de camarões, crustáceos e peixes de água doce. Tanto para comprar, como para comer! Afinal, há vários restaurantes dentro do mercado onde você poderá experimentar deliciosos pratos regionais. 

Contudo, se você não está a procura apenas de comida, há também os pavilhões que são cheios de lojinhas de artesanatos. Uma excelente oportunidade para você levar para casa objetos decorativos que representam muito a cultura local, que carrega na sua essência os costumes indígenas.

Há também as barracas de ervas, que são muito utilizadas tanto na gastronomia, como para fins medicinais. Mais uma herança dos povos indígenas que possuem profundo conhecimento das propriedades curativas de tudo o que a natureza nos dá. 

Conhecer este Mercado precisa estar nos seus planos de viagem! Além da belíssima arquitetura, você poderá experienciar e conhecer vários elementos culturais em um único lugar.

Gostou de saber um pouco mais sobre o Mercado Municipal de Manaus? 

Então não deixe de acompanhar nosso blog com postagens semanais e conteúdos exclusivos preparados especialmente para você!

Publicado em Deixe um comentário

Ilha do Combu: conheça o paraíso pertinho de Belém

ilha-do-combu-flor-de-jambu

Buscando tranquilidade, comida boa e profunda conexão com a natureza? Então visite a Ilha do Combu há 15 minutinhos da cidade de Belém. 

Este é um ótimo passeio para quem está conhecendo o Pará e quer se desconectar um pouco da agitação das grandes cidades. 

Com várias opções de restaurantes, muitos turistas visitam esta ilha para se deliciar com as comidas tipicamente paraenses. 

Além disso, há opções de lazer dentro dos próprios restaurantes, como piscinas, trilhas e espaços de jogos, que são excelentes para passeios em família!

Quer conhecer um pouquinho melhor sobre a Ilha do Combu antes de visitá-la? Então continue a leitura e anote todas as dicas!

Ilha do Combu: como ir?

Apesar de parecer difícil, chegar à Ilha do Combu é super simples. Basta pegar um barco, meio de transporte utilizado pelos moradores da ilha, que sempre sai da Praça Princesa Isabel (localizada no bairro Condor).

A passagem varia entre R$7,00 e R$10,00 reais. Lembrando que durante a semana a frequência de embarcações em direção à ilha é bem menor. 

Ilha do Combu: pousadas

A maior parte dos turistas que visitam esta ilha costumam passar somente uma tarde. Até porque, por ser bem pequena, não há muitas atrações ou eventos. 

O que mais atrai as pessoas, além do sossego proporcionado pela floresta, é a incrível experiência gastronômica que você terá ao visitar qualquer um dos restaurantes.

Por isso, não há quase nenhuma opção de estadia ou hotel. A única indicação que nós temos é da Olaria River Hostel. Apesar de haver poucas acomodações, os quartos são bem equipados, e ainda há a opção de café da manhã incluso. 

Ilha do Combu: restaurantes

Diferente das estadias, as opções de restaurantes são diversas. Antes de ir, é bom conferir o cardápio, os preços e também as opções de lazer. 

Um dos locais mais bem recomendados nesta ilha é o famoso Saldosa Maloca, que está funcionando atualmente de sexta a segunda. 

Além de uma linda vista para o Rio Guamá, a comida é muito elogiada. Mas, por conta de sua fama, o preço é um pouco salgado.

Apesar de haver opções de trilhas e tirolesas, há outras alternativas com uma infraestrutura um pouco mais robusta, como o Solar da Ilha.

O preço não é muito diferente do Saldosa Maloca, mas o restaurante, além de comida boa, conta uma piscina, hidromassagem e várias espreguiçadeiras para você tirar aquele cochilo depois do almoço.   

Mas, se o que você busca é um combo de “preço acessível + lazer para a família”, então as outras opções são: o Nossa Maloca, o Casa Combu e o Kakurí. 

Conheça a Fábrica de chocolate

Uma parada obrigatória para quem visita esta ilha é a Casa da Dona Nena. Isso porque, a produção e comercialização de cacau é praticamente uma marca registrada deste local. 

Além disso, a história de superação e o delicioso chocolate da Dona Nena, que é bastante reconhecido inclusive por alguns renomados chefs brasileiros, é algo que atrai muitos turistas. 

Para começar, você pode fazer uma visita guiada para conhecer um pedacinho da Amazônia e os tesouros que ela nos dá, como o cacau, o cupuaçu e o açaí. Para fechar com chave de ouro, faça uma degustação de alguns chocolates amazônicos e doces típicos da região. 

Se você ainda não provou o chocolate amazônico, não sabe o que está perdendo! É simplesmente uma delícia!

Gostou de saber um pouquinho mais sobre a Ilha do Combu? 

Então não deixe de acompanhar nosso blog, pois neste período de férias teremos várias dicas de viagens e destinos inesquecíveis na região norte do Brasil! Não perca!

Publicado em Deixe um comentário

Desmatamento na Amazônia 2021

desmatamento_na_amazônia_flor_de_jambu

Não tem como falar do desmatamento na Amazônia sem falar de dados. Afinal, é desta forma que conseguimos mensurar o tamanho do estrago feito até o momento que afeta o regime de chuvas e a taxa de umidade de toda a América do Sul. 

Além disso, a Amazônia é o lar da maior biodiversidade do mundo, e sua destruição afeta diretamente o aumento do aquecimento global. 

Neste artigo, vamos fazer uma retrospectiva do nível de desmatamento da nossa floresta desde 1970, e mostrar a situação atual desta problemática que vem se agravando com a omissão e falta de políticas e inspeções mais severas por parte do atual governo. 

Boa leitura!

Retrospectiva do Desmatamento na Amazônia

Antes de 1970, a Floresta Amazônica tinha aproximadamente 4 milhões de Km². Contudo, mais de 20% da sua área foi desmatada até o momento atual. 

O maior fator que influencia o desmatamento é o crescimento desenfreado da pecuária, que contribui para o aumento do efeito estufa devido a produção do gás metano por parte do gado. 

No período da ditadura militar, a destruição da floresta se intensificou com a exploração irresponsável de madeira e minérios.

desmatamento na amazônia

Em 1995, o desmatamento bateu recordes e acabou com cerca de 29 mil Km² da floresta. Mas, nos anos subsequentes, houve uma pequena diminuição nesses números que não durou por muito tempo.

Na virada do século, algumas medidas foram tomadas para combater o desmatamento, como a demarcação de áreas indígenas e aumento da fiscalização. Contudo, essas providências não foram o suficiente, pois em 2004 a Amazônia teve mais de 27 mil Km² destruídos. 

Em 2012, este cenário desastroso teve uma melhora significativa e a área desmatada foi de 4.571 Km² segundo o Prodes (Projeto de Monitoramento do desmatamento da Amazônia Legal por Satélite). 

Este fato rendeu ao Brasil elogios de órgãos internacionais responsáveis pelo meio ambiente. Entretanto, em 2013, o código florestal (Lei 12.651) passou por reformulações que prejudicaram o controle da destruição da Amazônia. Fato que influenciou a situação atual.

desmatamento na amazônia

Entenda a atual situação da Floresta Amazônica

Em 2019, com base em dados do Prodes, a área desmatada superou os 10 mil Km², e o número de queimadas se intensificou. Isso porque o governo começou a apoiar a exploração de áreas indígenas e acabou com alguns órgãos de fiscalização.  

Além disso, o atual presidente tem projetos de leis que regularizam ocupações ilegais, permite o garimpo em áreas de reserva e altera a demarcação de terras indígenas. Um verdadeiro retrocesso para todos os órgãos e pessoas que lutam pela preservação da nossa maior riqueza. 

indígenas protestando no congresso nacional

Faz muito tempo que o Brasil não registrava um aumento do desmatamento por quatro anos consecutivos. Desde agosto do ano passado até julho deste ano, mais de 13 mil Km² foram devastados. 

Estes dados divulgados pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) tiveram um atraso na divulgação, pois o governo parece não querer escutar certas verdades por parte dos líderes da Cúpula do Meio Ambiente. 

Em 2014, o Brasil assinou a Declaração de Nova York sobre Florestas se comprometendo a erradicar o desmatamento até 2020. Não aconteceu…

Na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas em 2021 (COP 26), o Ministro do Meio Ambiente estendeu “um pouquinho” o prazo para a meta que não foi cumprida para o ano de 2028. Será mesmo que todas as medidas prometidas irão se concretizar?  

Estes dados são lamentáveis, mas precisam ser divulgados. Grande parte da população não tem conhecimento desta realidade que só trará prejuízos para as próximas gerações. Se a situação atual não mudar, podemos chegar a um ponto irreversível. 

Gostou deste conteúdo?? 

Fique por dentro do nosso blog e acompanhe a publicação semanal de novas matérias!

Publicado em Deixe um comentário

Sebastião Salgado: a “Amazônia” está na Europa!

A exposição “Amazônia” do célebre fotógrafo Sebastião Salgado está fazendo um tour pela Europa e, ano que vem, virá para o Brasil!

Com 200 painéis, Sebastião Salgado conseguiu capturar a mais pura essência da maior floresta do mundo. 

Além de fantásticas paisagens desconhecidas por muitos brasileiros, a exposição também é composta por imagens de algumas famílias indígenas. 

Te convidamos a conhecer melhor sobre este mestre da fotografia e como foi sua jornada em registrar o berço da maior biodiversidade do planeta!

Boa leitura!

Quem é Sebastião Salgado? 

O fotógrafo mineiro Sebastião Salgado, com doutorado em economia, não iniciou sua vida laboral na fotografia. 

Foi durante uma viagem a trabalho para África que ele realizou sua primeira sessão de fotos e se encantou por esta arte. 

Suas características mais marcantes são as temáticas abordadas e suas fotografias em preto e branco. 

As obras deste artista humanitário registram a seca na África, a extrema pobreza na América Latina, a situação lastimável de famílias desabrigadas, a triste realidade que os profissionais das organizações como Médicos sem Fronteiras vivenciam…

Foram esses trabalhos que renderam a Sebastião Salgado vários prêmios no mundo da fotografia. 

fotografia_sebastião_salgado
Photo by Sebastião Salgado
Fonte: Flickr
sebastião_salgado
Photo by Sebastião Salgado
Fonte: Flickr

A viagem de Sebastião Salgado pela Amazônia

A exposição “Amazônia” é um compilado de todos os registros que ele fez durante suas viagens para a Floresta. Com o auxílio das aeronaves do Exército Brasileiro, ele conseguiu tirar várias fotos aéreas. 

Sebastião captou imagens extraordinárias das montanhas, dos rios que voam e da imensidão desse paraíso que não parece ter um fim.

Além disso, com a ajuda de sua esposa Lélia e o apoio da Funai, eles montaram um estúdio simples para conseguir fotografar os indígenas sem o fundo da floresta. 

Desta forma, eles conseguiriam captar melhor seus olhares, expressões, pinturas corporais, adornos…

AMAZÔNIA: uma obra prima!

Semelhante à sua obra Gênesis, onde o objetivo de Sebastião é mostrar regiões preciosas e intocadas pela ambição humana, a exposição “Amazônia” carrega toda a pureza e imponência da Floresta e dos povos que a habitam. 

Com cunho político, o propósito desta exposição é mostrar toda a riqueza natural que faz parte do nosso país, e que poucos lutam para preservar. 

As imagens exuberantes trazem em sua essência um pedido de socorro, pois a floresta está sendo cada dia mais tomada pelo garimpo, que assassina covardemente não só a natureza, mas também indígenas que tentam protegê-la.

Além disso, a exposição foi toda pensada e planejada para que os visitantes conseguissem se sentir imersos. 

As paredes com cor de terra, o ambiente com meia luz para dar mais destaque a iluminação das obras, a organização do espaço em formato de oca, e o teto escuro, faz com que os visitantes embarquem numa aventura cheia de mistérios e misticismo.  

Informações sobre a Exposição “Amazônia”

A inauguração ocorreu em maio deste ano em Paris, mas está neste momento sendo exibida em Londres. 

A previsão para chegar no Brasil é em fevereiro de 2022 no estado de São Paulo. Posteriormente, ela irá para o Rio de Janeiro e será exibida no Museu do Amanhã. 

Já comece suas preparações para poder visitar esta exposição que será inesquecível! Poder ver a Amazônia através do olhar único que possui esse artista com certeza será uma experiência transformadora! 

Ficou curioso para ver um pouquinho de suas obras? 

Em seu Instagram, Sebastião Salgado já publicou alguns spoilers das fotografias que estão na exposição! Não deixe de conferir!

Publicado em Deixe um comentário

Como funciona a Gastronomia Sustentável?

Gastronomia Sustentável

Você já ouviu falar de Gastronomia Sustentável? Esse conceito, relativamente recente, nos faz refletir e mudar hábitos para diminuir de forma significativa a quantidade de lixo orgânico que produzimos.

Segundo dados da ONU, no ano de 2019, mais de 930 milhões de toneladas de alimentos foram desperdiçadas no mundo. 

Além disso, há uma estimativa de que 17% de toda a comida produzida no planeta para o consumo é descartada.

Valores que não batem quando pensamos no fato de que aproximadamente 811 milhões de pessoas passaram fome no primeiro ano da pandemia, de acordo com a FAO (Food and Agriculture Organization)

Essa realidade extremamente preocupante possui soluções, e uma delas é a Gastronomia Sustentável! 

Quer saber como embarcar nessa nova tendência e ajudar o meio ambiente? Continue lendo esse artigo e descubra!

Sustentabilidade na Gastronomia

A palavra sustentabilidade, de acordo com o sociólogo Reinaldo Dias, é uma forma inteligente de lidar com os recursos para que eles não faltem no futuro. 

Ou seja, é uma decisão que tomamos hoje pensando a longo prazo, pois são as próximas gerações que sofrerão com a falta daquilo que estamos desperdiçando.

Na gastronomia, falar de sustentabilidade é falar sobre a origem dos alimentos e o caminho que eles percorrem até chegar a sua mesa. 

Você já parou para pensar porque as pessoas estão cada vez mais buscando por uma alimentação saudável? 

Essa decisão, muitas vezes, não está somente relacionada à saúde pessoal, mas também está ligada com a preservação do meio ambiente. 

gastronomia_sustentável
Gastronomia Sustentável
Imagem Canva Pro

Entenda essa nova tendência!

Há alguns pilares que precisamos destacar para entender sobre essa tendência no universo gastronômico: 

  1. O não desperdício;
  2. O aproveitamento total dos alimentos;
  3. O consumo de alimentos orgânicos provenientes de pequenos produtores.

Os três tópicos acima estão interligados e sua prática constante promove uma alimentação mais saudável e uma cozinha mais sustentável!

Excelentes exemplos de chefs renomados que já começaram a pôr em prática os fundamentos citados em seus próprios restaurantes são  Helena Rizzo, Alex Atala, Paola Carosella e Bel Gil.

Além de elaborarem deliciosas receitas utilizando os “restos” dos alimentos, aquilo que é lixo vai direto para a compostagem. 

Modelos de negócio que estão apostando em práticas sustentáveis não estão só cumprindo com deveres sociais e ambientais, mas também estão ganhando destaque competitivo no mercado.

compostagem_de_orgânicos
Compostagem
Imagem Canva Pro

Como funciona a Gastronomia Sustentável?

As atividades agrícolas são as maiores culpadas pelo desmatamento no Brasil, principalmente da Mata Atlântica e da Floresta Amazônica

Além disso, o uso extremo de agrotóxicos, regulado por lei,  só aumentou nos últimos anos, gerando grande preocupação por parte da população que entende sobre os riscos que isso traz à nossa saúde. 

Na tentativa de amenizar as consequências negativas dessas situações, a gastronomia sustentável propõe: 

  • O consumo de alimentos orgânicos, sejam eles provenientes de hortas comunitárias ou de pequenos produtores locais;
  • Preparação de receitas que utilizam o alimento completo. Há vários preparos simples de fazer, principalmente com frutas, verduras e legumes, que te permitem o aproveitamento integral. 
alimentos_orgânicos
Alimentos Orgânicos
Imagem Canva Pro
  • Optar por produtos regionais e usufruir mais de receitas sazonais. Além de estimular o desenvolvimento da produção local e respeitar as fases e etapas naturais dos alimentos, você também estará contribuindo para a diminuição da poluição causada durante o transporte. 
  • Praticar a reciclagem e a compostagem. Somente 1% de todo o lixo orgânico produzido no Brasil é reaproveitado. 

Além de tudo, a preocupação em otimizar o uso da água, gás e energia também são medidas que ajudam muito o meio ambiente e tornam sua casa, ou restaurante, um local mais sustentável. 

Reduza, recicle e reutilize! Vamos criar novos hábitos para que possamos contribuir para um futuro mais saudável.

Publicado em Deixe um comentário

Halloween da Amazônia: conheça lendas de terror da maior Floresta do Mundo

Lendas

O mês de outubro chegou e com ele muitos países celebram o Halloween. Uma data cheia de mistérios e lendas horripilantes que dão aquele frio na espinha. 

Contudo, não são apenas as histórias de bruxas que são capazes de nos fazer perder o sono a noite. Há várias lendas do folclore brasileiro tão misteriosas que também vão te dar muito medo.

Por isso, nesse artigo vamos te contas algumas Lendas da Amazônia que são pouco conhecidas pela maioria das pessoas, mas não deixam de ser sombrias. 

Ficou curioso? Continue lendo e confira cada uma delas!

lendas_da_amazônia
Lendas da Amazônia
Imagem Canva Pro

Lendas do Folclore Brasileiro

Quem nunca estudou na escola a lenda do Curupira, da Iara, do Boitatá, do Saci Pererê, ou do boto cor-de-rosa?

Aqueles que assistiam ao Sítio do Pica Pau Amarelo devem conhecer essas histórias de cor e saber todos os mistérios que envolvem o folclore brasileiro.

Entretanto, há algumas lendas e mitos da Amazônia que talvez você ainda não tenha escutado falar e que revelam muito sobre o imaginário e cultura dos povos indígenas, caboclos e ribeirinhos. Vêm conhecer!

Mapinguari: o monstro da Amazônia

lenda_do_mapinguari
Mapinguari
Imagem Canva Pro

Você consegue imaginar uma criatura peluda e gigante, com somente um olho, igual um ciclope, e com uma boca imensa na barriga? 

Essa é a lenda do Mapinguari contada pelos caboclos que vivem na floresta. Segundo eles, essa criatura emite sons que atraem os caçadores, que são seus principais alvos.

De acordo com algumas histórias, aqueles que sobreviveram ao ataque desse monstro saíram aleijados e extremamente traumatizados pelo encontro com essa terrível besta.

Além disso, os ribeirinhos também costumam contar sobre vários embates que caçadores tiveram com esse monstro. 

Há os que acreditam que a história do Mapinguari esteja relacionada com as Preguiças-Gigantes, animais pré-históricos que tinham cerca de 6 metros de altura. Será que é verdade?

Boiúna, a Cobra Grande

boíuna_cobra_grande
Boiúna Cobra Grande
Imagem Cava Pro

Que a Amazônia é cheia de cobras imensas que estrangulam suas presas até a morte, todo mundo sabe. Mas, há uma lenda indígena assustadora sobre uma cobra gigante capaz de se transformar em outros seres. 

Segundo contos, a Boiúna é uma cobra tão imensa que por onde passa forma igarapés, valas grandes que criam um canal de água. Além disso, ela é capaz de afundar embarcações e devorar seus pescadores. 

De acordo com os relatos de algumas tribos, a cobra grande engravidou uma índia que deu a luz à duas crianças, Honorato e Caninana. 

Caninana era uma criança terrível que, quando se transformava em cobra, também conseguia naufragar barcos. 

Contudo, Honorato, que também possuía o mesmo poder, tinha bom coração, mas teve que lutar contra sua irmã por conta de suas crueldades. É ou não é assustador?

Matinta Pereira: uma das lendas mais assustadora da Amazônia

matinta_pereira
Matinta Pereira
Imagem Canva Pro

Já pensou se você acorda no meio da noite com um assobio aterrorizante e estridente? Pois esse é o som que os moradores das casas escutam quando são assombrados pela Matinta Pereira. 

Como é o mês do Halloween, não poderíamos deixar de incluir a história de alguma bruxa, mas, no caso, uma velha bruxa que perturba quem vive na floresta. 

Existem várias versões dessa lenda, contudo, a mais sombria é de que a Matinta Pereira é uma feiticeira que vira uma coruja “rasga mortalha” e assombra moradores que, desejando que ela vá embora, lhe prometem fumo.

Coruja Rasga Mortalha
Imagem Canva Pro

No dia seguinte, ela aparece na casa para cobrar aquilo que lhe foi prometido. Mas, caso a pessoa não cumpra, terríveis desgraçadas começam a acontecer em sua casa.

Caso um dia você esteja caminhando pela floresta e escute uma voz falando “Quem quer? Quem quer?”, nunca responda “Eu quero!”. É dessa forma que a velha se livra da sina e passa a maldição de ser a Matinta para outra pessoa. 

Tá assustado? Espero que você não esteja lendo esse texto antes de dormir. 

Uma dica legal para você que gosta dessas histórias é a série Cidade Invisível. Disponível no Netflix, essa produção brasileira incrível soube construir uma excelente narrativa baseada nas lendas do nosso folclore

O que você achou dessas lendas de terror da Amazônia? Conta pra gente nos comentários e não deixe de acompanhar todas as matérias do nosso Blog!

Publicado em 1 comentário

Viagem para a Amazônia! Quanto custa para conhecer a maior floresta do mundo?

floresta-amazônia

Turismo ainda pouco explorado pelos brasileiros, a Amazônia é um destino que proporciona experiências inimagináveis para aqueles que a visitam.

Berço da maior biodiversidade do nosso planeta, a floresta é o lar de mais de 1000 espécies de aves, cerca de 3000 mil espécies de peixes, mais de 400 espécies de mamíferos e anfíbios, sem falar da quantidade de tipos de insetos que ultrapassam a marca de 2 milhões. 

Apesar de possuir solo pouco fértil, graças ao ponto de equilíbrio do seu ecossistema, a Amazônia consegue manter saudável sua fauna e flora. 

E, diferente do que muitos imaginam, há excelentes infraestruturas para se hospedar no meio da floresta e se conectar de forma profunda com a natureza. 

Continue lendo esse artigo e acompanhe dicas preciosas sobre preços, passeios, clima e hospedagem na maior floresta do mundo!

animais-da-amazônia
Animais da Amazônia
Imagem Canva Pro

Qual a melhor época para viajar para a Floresta Amazônica?

Isso vai depender do que você gostaria de experienciar e os tipos de passeios que deseja fazer!

A temperatura média ao longo do ano é de 30º graus e o clima é bastante úmido. Apesar de chover durante o ano inteiro, o período entre dezembro e maio é o que tem maior incidência. 

Por esse motivo, entre maio e junho a floresta fica mais alagada e os passeios de barco e cruzeiros são os mais indicados. 

Mas, se você quer apreciar os animais e aproveitar as praias fluviais, indicamos que você viaje entre o período de julho a novembro. Contudo, tenha cuidado com o calor, pois é intenso!

floresta-amazônica
Floresta Amazônica
Imagem Canva Pro

Quanto custa uma viagem para a Amazônia? 

Os preços podem variar bastante dependendo do itinerário que você fizer e do tipo de hospedagem que você vai escolher ficar.

Caso seu orçamento esteja um pouco apertado, há muitas opções de hotéis em Manaus com valores iniciais de R$150,00 reais por noite. Além disso, o Airbnb também é uma excelente forma de economizar e alugar espaços por preços mais acessíveis. 

Entretanto, se você tem condições e está disposto a pagar para vivenciar uma experiência de imersão na floresta, uma alternativa super atrativa são os famosos Lodges, que são alojamentos no meio da selva.

Os valores podem variar de R$1.000,00 a R$3.500,00 por noite, dependendo da época do ano. O Juma Amazon Lodge, o Dolphin Lodge e o Anavilhanas Jungle Lodge, por exemplo, são algumas sugestões com infraestrutura fantástica e bangalôs super luxuosos.

Também é possível encontrar pacotes promocionais em algumas datas específicas a partir de R$800 reais com hospedagem e aéreo inclusos!

Mas se você procura uma experiência mais imersiva na Amazônia, a AMZ Projects é uma produtora de experiências especializada na Amazônia. Você consegue elaborar roteiros exclusivos para você vivenciar o que Amazônia tem de melhor…hospedagem em comunidades ribeirinhas, viagens de barco, passeio em vilas, etnoturismo e vivências exclusivas.

hospedagem-na-amazônia
Hospedagem na Amazônia
Imagem Canva Pro

5 passeios incríveis para curtir no Amazonas

O estado do Amazonas possui atrações que você não encontrará em nenhum outro lugar do planeta! 

Caminhadas guiadas pela floresta são uma oportunidade ímpar de ver muitos animais, descobrir diversos tipos de plantas e conhecer a cultura de povos que vivem na região como os ribeirinhos e os caboclos. 

Outro passeio fantástico que você não pode deixar de fazer é o mergulho com os botos cor-de-rosa. Animais belíssimos típicos da região que também fazem parte de uma das mais famosas lendas do nosso Folclore Brasileiro. 

boto-cor-de-rosa
Boto cor-de-rosa
Imagem Canva Pro

Além de tudo, você não pode deixar de presenciar o Encontro das Águas, que é o fenômeno que ocorre com o encontro do Rio Negro e o Rio Solimões. Esse é um passeio incrível que você precisa incluir no seus planos!

encontro-das-águas
Encontra das Águas
Imagem Canva Pro

Por fim, se você viajar para o Amazonas no último final de semana de junho, poderá aproveitar o Festival Folclórico de Parintins, que é uma celebração que atrai centenas de pessoas todos os anos e comemora toda a beleza e riqueza da cultura do Amazonas

Prepare seu coração para grandes aventuras e descubra os mistérios incríveis por trás da maior floresta tropical do mundo!


Gostou do conteúdo? Confira também o nosso artigo sobre Comidas Típicas na Amazônia e conheça toda a abundância gastronômica que te aguarda!

Publicado em Deixe um comentário

O que é o Tucupi? Conheça este ingrediente derivado da mandioca!

tucupi-amarelo

Você já ouviu falar sobre o tacacá? Ou já provou alguma vez na vida o famoso Pato no Tucupi?

Ambos são pratos típicos da região da Amazônia que levam na sua composição esse delicioso caldo de cor amarelada que trará para as suas receitas um toque de acidez.

De herança indígena, o Tucupi é extraído do alimento que faz parte da dieta básica das famílias na região norte do Brasil, a mandioca!

No decorrer da produção da farinha de mandioca, há o processo de extração da manipueira, que é um líquido residual das raízes que são prensadas. E, é desse líquido que se forma o Tucupi. 

Nesse artigo preparamos para vocês dicas especiais de algumas receitas deliciosas e como se produz esse ingrediente da Amazônia. Aproveite a leitura!

Mandioca
Imagem- Canva Pro

Como é feito o Tucupi?

Ele é derivado especificamente da Mandioca Brava, que possui alto teor de cianeto e por isso é considerada venenosa. Mas, tenha calma! Comê-lo não é perigoso! 

Esse ingrediente passa por um processo específico para retirar essa substância venenosa. 

Como citamos, a manipueira é um líquido que resta depois que a mandioca é ralada e prensada. Este líquido passa pelo procedimento de decantação do amido, por cerca de 2 dias, que logo após é retirado.  Posteriormente, se inicia o processo de fermentação natural. 

Depois de fermentado, o caldo passa pelo processo de cozimento com alguns temperos, e o resultado final é o saboroso Tucupi.

Mas, você sabia que além do tradicional de cor amarela também existe o Tucupi Preto?

Continue lendo o artigo e descubra sobre a variação desse ingrediente da Amazônia que também compõe receitas maravilhosas!

O que é o Tucupi Preto?

tucupi-preto
Tucupi Preto

Também conhecido como Manibé, ele consiste na redução do Tucupi tradicional. 

Sem a incorporação de qualquer aditivo artificial, o Tucupi Preto ganha essa coloração escura durante sua fabricação, que decorre de um longo processo de cozimento. 

O resultado é um caldo natural com textura de melaço e um sabor umami (o quinto sabor do paladar), ou seja, inclui a presença do doce, salgado, azedo e amargo ao mesmo tempo. Uma experiência gastronômica surreal!

Cada dia mais apreciado por chefs da gastronomia, o Tucupi Negro está sendo muito utilizado em receitas como um substituto do molho shoyu, muito presente na culinária oriental.

Outro fato super interessante é que os indígenas utilizavam o Tucupi Preto não só como tempero, mas também para conservar as carnes de caça. 

Descubra agora algumas receitas deliciosas com esse ingrediente de sabor único!

tacacá
Tacacá Imagem Canva Pro

Receitas deliciosas com esse ingrediente da Amazônia!

Você já comeu Tacacá? Essa é uma receita super apreciada e conhecida na região norte do nosso país. 

Esse delicioso caldo tem como ingredientes principais: o tucupi, goma de mandioca, folhas de jambu e camarões secos. Ele costuma ser servido em uma cumbuca super quente. 

Outro prato super saboroso que você não pode deixar de fazer na sua casa é o frango no tucupi

A receita original é feita com carne de pato, contudo, por ser uma carne mais cara e difícil de ser encontrar no mercado, o frango se tornou um bom substituto. 

Com apenas cinco ingredientes você consegue preparar essa receita digna de MasterChef! 

Além disso, não se esqueça de conferir nossa sessão de Receitas da Amazônia. Lá você também aprenderá como preparar uma massa ao molho cremoso de cogumelo com tucupi preto e jambu.

Massa com molho de Tucupi Preto

Gostou do nosso conteúdo? Ficou com vontade de provar esses pratos? 

Então clique agora no botão abaixo e confira todos os nossos produtos desse ingrediente cheio de sabor!