Publicado em Deixe um comentário

Jambu Sinimbu aposta no tremor que provoca sensações inesquecíveis

Conserva de flor de jambu, cachaça de jambu e o concentrado de jambu “Tremidão” são os principais produtos da empresa paraense Jambu Sinimbu, cuja missão é simplesmente “tremer o mundo”, causando sensações inesquecíveis a quem ainda desconhece o efeito incrível dessa planta amazônica chamada jambu. Quem conta essa história de sucesso é a arquiteta e proprietária da empresa Tatiana Sinimbu.

Tudo começou quando seu amigo estilista Ronaldo Fraga encomendou flor de jambu para enviar de presente para uma amiga famosa. Isso aconteceu em 2016 e foi fundamental para que Tatiana desse o pontapé inicial na sua carreira produzindo e vendendo produtos à base de jambu.

A pessoa famosa era nada mais nada menos que a jornalista Marília Gabriela. Tatiana entrou em pânico porque não sabia como enviar a flor de jambu de forma que chegasse boa e poder ser consumida sem problema. “Isso não vai chegar nunca bom lá, vai chegar horrível, dez dias de correio, não vai dar certo isso”, pensou.

O primeiro grande desafio

Conserva de flor de jambu

Mas como não existe empreendimento sem desafio, Tatiana voltou para sua casa decidida a encontrar uma solução para enviar a flor de jambu. “Foi quando eu criei o meu primeiro produto, a conserva de flor de jambu. Eu peguei as flores e coloquei em conserva e assim eu consegui dar durabilidade e praticidade ao produto.

Ela enviou para todo mundo provar com várias receitas diferentes até chegar naquela que considerou ideal e que é utiliza até hoje.

Empolgada, Tatiana disse ao amigo que tinha achado a solução e que já queria criar uma marca com o seu sobrenome Sinimbu. Ronaldo Fraga achou a ideia maravilhosa e se ofereceu para criar a logomarca para a sua invenção. “Ele foi a pessoa que mais me incentivou com provocações a criar produtos com jambu, porque era isso que as pessoas queriam”, conta.

Demanda por jambu levou à criação da empresa

Tatiana Sinimbu, arquiteta e empresária

“A Jambu Sinimbu nasceu no meio de um aglomerado de coisas que estavam acontecendo na minha vida, mas principalmente de uma demanda por jambu que me rondava o tempo todo”. Ela se refere aos seus amigos de outros estados, que pediam jambu e ela dava um jeito de fazer isso, apesar de ser trabalhoso.

Antes de criar a conserva, jambu era um ingrediente que as pessoas queriam muito e ela sempre se via no mesmo dilema: Como enviar esse o jambu de forma eu chegasse bom?

Tatiana, então, passou a olhar essa demanda como uma oportunidade de negócio. Por gostar de divulgar as coisas do Pará e da Amazônia, conhecer muita gente e ser bastante comunicativa, amigos sugeriram que ela trabalhasse com turismo.

“Hoje em dia, eu vejo que se fechou um ciclo na minha vida e nasceu outro muito melhor. Eu achava que eu amava o meu ciclo passado, mas, realmente, eu amo o atual. Eu achava que aquilo era amor, mas amor, realmente, eu estou descobrindo agora pela Jambu Sinimbu”, revela. Mas ainda não largou a Arquitetura totalmente.

Depois que a flor de jambu em conserva ganhou credibilidade, começaram a perguntar se ela não produzia cachaça também.

E veio a cachaça de jambu com toque feminino

Cachaça de jambu

Foi mais uma provocação. Tatiana decidiu, então, fazer uma cachaça mais suave e mais feminina porque a que existia no mercado muito forte. Foi aí que ela teve a ideia de usar o cumaru, uma especiaria que considera chique e que faz parte do Chanel Nº 5 e de muitos perfumes famosos. “Meu toque feminino na cachaça foi o cumaru, tornando-a um pouco mais suave e agradável”, comemora.

A partir daí, ela começou a viajar e a levar a flor de jambu em conserva e a cachaça principalmente para Belo Horizonte. “Até me apelidaram de traficante de jambu, porque eu chegava com uma mala só jambu e o pessoal todo já me esperava na porta, desesperado pelo produto” relata.

E nesse vai e vem, acabou recebendo a terceira provocação: e se isso fosse usado no sexo? “Essa foi a minha terceira obsessão”, confessa, “eu fiquei louca. De que forma eu ia resolver isso?”.

Tremidão, o afrodisíaco amazônico

Tremidão, o afrodisíaco amazônico

Não tardou, e ela conseguiu. “Cheguei no produto que eu mais amo, sou apaixonada, enfim, que se chama “Tremidão”, que pode ser usado como afrodisíaco em função do tremor que o jambu provoca. O produto também é vendido pela flordejambu.com e faz o maior sucesso.

“O Tremidão é um concentrado de jambu, que se transformou no amor da minha vida. É uma gota da Amazônia que leva a sensação do jambu com praticidade para uma experiência única. Ele pode ser usado no corpo, no sexo, no drinque, onde você quiser, o céu é o limite. Só com um litro de jambu consigo fazer milhares de pessoas sentirem a sensação do jambu”, explica Tatiana.

A intenção da empresária é levar a experiência da floresta para o maior número de pessoas. “Eu quero que as pessoas tenham 0,01% da experiência de viver na floresta em Belém do Pará. Por isso “Uma gota da Amazônia para uma experiência única” é o slogan do Tremidão.

Depois do Tremidão, outros produtos foram lançados. “Mas tenho, pelo menos, mais uns 15 produtos na minha cabeça, alguns inclusive já até desenvolvidos, faltando apenas ser lançados”, adianta, ressaltando, no entanto, que mantém o pé no chão e sobe um degrau de cada vez.

A Jambu Sinimbu está completando cinco anos. Foi criada em 2016 com o objetivo de levar o jambu de forma prática e durável para os quatro cantos do mundo.

Tatiana Sinimbu busca aperfeiçoamento profissional

O interessante é que até o momento, Tatiana ainda não investiu pesado em publicidade, os resultados têm vindo mais da divulgação informal boca a boca feita, principalmente, pelos amigos e clientes. No entanto, ela reconhece que está na hora de começar a investir mais em mídias digitais e não se limitar apenas ao Instagram, uma vez que as redes sociais são fundamentais para expandir os seus negócios.

Para organizar melhor a sua empresa, ela está fazendo Metrado Profissional em Engenharia Química Industrial na Universidade Federal do Pará (UFPA). A turma é formada por profissionais da área de criação que inventaram alguma coisa dentro da empresa em que trabalham. Dos dez aprovados, ela é a única mulher. “Eu entrei com a minha empresa Jambu Sinimbu e a minha invenção, que é o Tremidão”, informa.

Sua tese de Mestrado tem como tema o Tremidão, mas novas ideias estão surgindo no decorrer do curso. “Eu durmo e acordo pensando em jambu, em criar produtos, em dar soluções para as pessoas. Porque até para resolver problema sexual já me ligaram. Minha cabeça não para”, conta.

Empresa valoriza os pequenos produtores da região

Cheiro do Pará e Tremidão

Um lado que merece destaque é que a Jambu Sininbu, assim como a maioria das empresas parceiras da flordejambu.com, também trabalha com comunidades de pequenos produtores que cultivam jambu.

Ela gosta muito de ter contato com essas pessoas, aprender com elas e trocar experiências. “Por sinal, recentemente, eu fui em uma comunidade nova em Marituba e tive a oportunidade de presentear uma senhorinha com um frasco de Tremidão depois de ouvir da mulher que ela estava na menopausa e não aguentava o seu marido reclamando. “Dei pra ela e disse: use isso com seu marido e depois me conte. Agora eu tô megacuriosa de voltar lá pra saber no que deu o Tremidão lá com a senhorinha. Eu acho o máximo isso, eu amo”.

Apesar da brincadeira, Tatiana ressalta que o Tremidão é um estimulante sexual e não um medicamento, por isso, as mulheres em menopausa como a senhora citada devem procurar atendimento médico para superar essa fase da vida de forma mais saudável.

Tatiana Sinimbu considera a flordejambu.com uma das maiores parceiras da Jambu Sinimbu “porque divulga, comercializa os meus produtos e  valoriza a nossa Amazônia”, conclui.

Texto: Roberta Vilanova